Malala e Marley

Armas são símbolos de opressão. A luta contra a violência com música e educação.

Malala Yousafzai foi baleada no ônibus da escola por defender o direito a edução de meninas no Paquistão aterrorizado pelo Talibã que fechava salas de aula.

Bob Marley foi baleado no seu estúdio por defender a união e não violência em uma Jamaica dividida politicamente que usava gangues para espalhar o medo.

A menina que ama livros criada dentro de uma escola e o astro do reggae e amor possuem vozes que os tornaram populares ao mesmo tempo que viraram alvos.

A mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel da Paz, exilada na Inglaterra pós atentado, e seu trabalho pela educação feminina são reconhecidos mundialmente.

Porém poucos conhecem a bela história do seu pai Ziauddin Yousafzai que com pouco dinheiro e muitos contra construiu escolas no Vale do Swat. Possibilitando que meninas e meninos estudassem juntos, estimulando a oratória e pensamento crítico, numa sociedade religiosa cheia de desigualdades, restrições e punições.

A biografia best-seller juntamente com o documentário premiado e a entrevista recente para Dave Letterman mostram a bravura de Malala e sua família. Vozes que acreditam no poder transformador da educação em meio a repressão social.

“O Talibã podia tomar nossas canetas e nossos livros, mas não podia impedir nossas mentes de pensar.” – Malala Yousafzai

A Biografia | O Documentário | A Entrevista


Ás vésperas das eleições na Jamaica (1976) e dois dias antes de Bob Marley realizar o show Smile Jamaica para aliviar as tensões políticas em Kingston, homens não identificados invadiram a casa do cantor e atiraram para matar.

O ataque feriu Marley, a esposa, o empresário e outros. Poucas informações oficiais e muitos boatos foram divulgados. Afinal, quem atirou em Marley?

A resposta para essa pergunta está no primeiro episódio da nova série documental da Netflix. No meio da disputa entre PNP (Partido Nacional Popular) e JLP (Partido Trabalhista da Jamaica) com desdobramentos políticos que envolviam Cuba e Estados Unidos, Marley que já era um líder espiritual era cobiçado e coagido.

O posicionamento conciliador quase custou sua vida e o exilou, porém fazendo ampliar sua mensagem de paz e união com o posterior disco Exodus (1977).

“Nenhuma bala pode nos parar. Não imploramos nem nos curvamos. Não podemos ser comprados nem vendidos.” – Bob Marley (Jamming, Exodus)

Who Shot The Sheriff? | Marley (2012) | Breve História de Sete Assassinatos


Vozes pacifistas se erguem na multidão. Balas não as calarão. Malala e Marley.

Anúncios

2 comentários

  1. O livro de Malala está na minha lista, mas ainda não cheguei nele. Uma hora chego lá. Já ouvi algumas entrevistas dela e são excelentes. Espero conseguir assistir algum dos documentários sobre Marley e sobre Malala. Valeu pelas indicações, Bruno!

    P.S.: Só agora, lendo seu post, é que pensei que a letra de Who Shot the Sheriff pode ter a ver (e deve ter a ver) com a história dele e da Jamaica. nunca parei para prestar atenção na letra da música.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s