Novembro Azul e o Bigode

Chegando o final do mês de conscientização masculina com a saúde, principalmente o combate ao câncer de próstata, deixei o bigode aparecer (apesar do bullying) para apoiar a campanha. Mas porque o bigode é símbolo deste movimento pela vida tão bem sucedido e engajador?

Em 1999, um grupo de amigos australianos, reunidos em um Pub (onde mais?), teve a ideia de deixar o bigode crescer durante todo o mês como apoio à conscientização da saúde masculina e arrecadação de fundos para doação às instituições de caridade.

A campanha foi um sucesso mundial e chegou ao Brasil associada a cor azul, em contraste ao Outubro Rosa. O Instituto Lado a Lado pela Vida em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia são os responsáveis pelas ações no país, presenciais ou nas mídias sociais.

Então, não somente em Novembro mas durante todo o ano: cuide da sua saúde; faça exames periódicos; converse com seu médico e respeite o bigode grosso dos outros. Pode até ficar ridiculo em alguns, mas pode ser por uma boa razão e compaixão.

Fontes:

http://www.psicologiaparacuriosos.com.br/o-que-e-o-novembro-azul

http://www.novembroazul.com.br

Design Responsivo

No contexto da tecnologia móvel e portabilidade de conteúdo para diversas plataformas de consumo, o design de sites teve que se adaptar para apresentar o mesmo conteúdo em diferentes dispositivos e resoluções de tela. Isso foi possível através de técnicas como Design Responsivo que segundo Marcos: objetiva garantir a acessibilidade do conteúdo independente do meio que o usuário utilizar para acessá-lo. Representando a adaptação de uma interface a qualquer resolução de tela, adaptando a experiência de navegação de acordo com as necessidades dos usuários e também de cada tipo de mídia. Completando essa ideia:

Páginas web devem ser fáceis de usar, independentemente do dispositivo, e não devem excluir informações para caberem em dispositivos menores, mas adaptar seu conteúdo para caberem em qualquer dispositivo.” (W3schools, 2016)

Essa e outras técnicas já são amplamente utilizadas na Web, principalmente pelos grandes portais de notícias e entretenimento que são acessados diariamente por uma variedade de dispositivos, de celulares a relógios. Por exemplo, o site da Rede Globo (www.globo.com) que foi projetado com layout responsivo e analisaremos nas suas características adaptativas.

Analisando o layout responsivo do site http://www.globo.com

Segundo Pacheco, o Design Responsivo não é simplesmente encolher o conteúdo, mas adaptar os elementos a fim de entregar ao usuário o melhor conteúdo e navegação para aquele cenário. Ou seja, organizar logicamente os elementos (textos, imagens, publicidade, vídeos) a serem expostos de maneira flexível em uma página. Isso pode ser conseguido através de técnicas como: layout fluído (grid); media queries (css3) e imagens flexíveis (vetor).

Por exemplo, no layout desktop visualizado na Figura 1 podemos constatar a divisão de elementos com o uso de grids, facilitando a distribuição de conteúdo em linhas e colunas. No cabeçalho do site, “colunas invisíveis” separam o logotipo das opções do menu que estão agrupadas horizontalmente. Enquanto que no layout smartphone visualizado na Figura 2, o mesmo menu está disposto abaixo do logotipo separados por uma “linha invisível”.

globo-desktop.png
Figura 1 – Layout do site no desktop (GLOBO, 2016)

Continuar lendo

Oriana Fallaci

Vi sono momenti nella vita, in cui tacere diventa una colpa e parlare diventa un obbligo. Un dovere civile, una sfida morale, un imperativo categorico al quale non ci si può sottrarre.” – Oriana Fallaci (La Rabbia e l’orgoglio, 2001)

Questa frase riassume bene chi è stata L’Oriana. Una scrittrice, giornalista, attivista, corrispondente di guerre, intervistatrice riconosciuta, una donna amate. Lei nacque a Firenze nel 1929, in piena era fascista, da un padre che era attivo antifascista. Dunque, partecipò giovanissima alla Resistenza Italiana e vide il padre catturato e torturato dalle truppe naziste. Tuttavia, per il suo attivismo durante la guerra ricevette, a soli 14 anni, un riconoscimento d’onore dall’Esercito Italiano.

Terminato il conflitto, se iscrisse alla facoltà di medicina che lasciò ben presto per dedicarsi al giornalismo. Ma prima di scrivere romanzi e libri scriveva dalla cronaca nera alla cronaca giudiziaria nei quotidiani dove lavorò, con l’aiuto dello zio Bruno. Anche fu la prima donna in Italia inviata al fronte in Vietnam. Mentre faceva il suo lavoro come corrispondente internazionale, scriveva i suoi primi libri.

Scrisse di divi e vita mondana di Hollywood nel “I sette peccati“; della donna in Oriente nel “Il sesso inutile“; di esperienza con astronauti della Nasa nel “Se il sole muore“; della guerra in Vietnam nel “Niente e così via…“.

Durante gli ultimi anni di vita fecero discutere le sue dure prese di posizione contro l’Islam, dopo agli attentati del 11/09 a New York, dove viveva. È scomparsa a Firenze all’età di 77 anni il 15 settembre 2006.

La carbonara alla “francese”

L’ultimo scandalo diplomatico in Italia non é stato politico o sport, neanche Berlusconi, ma gastronomico contro i francesi. Il motivo?

Il video del sito francese Demotivateur che rivisitava la carbonara con una ricetta stravolta per gli italiani. Ma perché la rivolta su l’Internet? Puó vedere sotto.

La preparazione di una cabonara cucinata con delle farfalle; cipolla; pancetta; tutti insieme con la crema di latte e per finire una uova cruda. Come un tartare!?

Questa interpretazione della mitica Carbonara ha scandalizzato gli italiani. Tanto che l’azienda Barilla, delle farfalle, ha chiesto gentilmente ai promotori della videoricetta di rimuovere il video. Dopo, la Barilla mostro nel dettaglio quali sono gli ingredienti del piatto della tradizione romana e come va eseguita la preparazione.

Alle fine, come dice un proverbio: “Col cibo non si scherza!“.

Il Tartufo Bianco

In Piemonte, nel nord d’Italia, c’é un ingrediente che può raggiungere costi dei diamanti: Il Tartufo Bianco. Ma perché costa tantissimo?

Perché é un fungo che vive sottoterra; non é coltivabile; cresce solo in Italia e in Istria; e la stagione di raccolta é molto breve (da Ottobre a Dicembre). Anche la sua ricerca richiede grandi investimento di tempo e risorse. Purtroppo, ha un ciclo di vita molto corto (due settimana) per essere mangiata. Dunque, sceglierlo bene.

Trifulau sono le persone che ricercano tartufo insieme ai cani addestrati a trovarli.

Fontes:

http://silvanabertolucci.com.br/caca-as-trufas-brancas-no-piemonte-italia

https://fortunatiantonio.it/tartufo-bianco-miniguida